Imensa.

Hoje me sinto com uma vontade absurda de mudar o mundo. (rá)

Não sei, mas acho que me tornei fria demais pra algumas coisas. Mais facil eu chorar vendo um comercial na TV do que com alguma coisa relativamente ruim que aconteceu.

Quando  disse que  sinto uma vontade absurda de mudar o mundo, acho que me referi ao meu mundo, e o mundo das pessoas importantes pra mim. Faço o que posso, e o que não posso, tenho idéias, que não são milagrosas, mas às vezes, servem pra alguma coisa. Acho, que o grande problema é dar o start, o primeiro passo.

Eu penso todo dia que eu preciso escrever, voltar a colocar “no papel”, escrever na hora umas idéias que vem na ponta da língua do meu cérebro, mas ai… eu esqueço!

Sabe aquela historia de ‘eu não sei o que quero, mas sei muito bem o que eu não quero’ ? Pois é… Eu quero muitas coisas ao memso tempo, que chega uma hora que eu não fiz e nem faço nada do que eu queria.

Não tenho vocação para comissária de bordo, mas acho que mesmo tendo um filho, não finquei raízes. Sinto necessidade constante de viajar, só eu e eu. Adoro a minha solidão, tão sonora como só ela sabe ser, e silenciosa quando tem que ser. Gosto de ter que me virar sozinha, de conhecer novos lugares, novas pessoas.

Tenho vontade de fotografar o mundo, me surpreender com o meu olhar sobre a pespectiva ansiosa de alguém que quer ver tudo, tocar o mundo, sentir o gosto que ele tem, e o cheiro de cada lugar.

Eu nasci aqui. Dei a luz aqui. Tenho família aqui. Mas não pertenço a nada, nem a lugar nenhum. Não gosto de me sentir presa, mas são as condições atuais. Preciso ver crescer a única coisa de bom que eu tenho certeza que eu fiz.

Sei que a hora de ir um dia vai chegar, e talvez eu tenha companhia, talvez não, por enquanto gosto de não estar só. Quero que dure. Entende?! Coisa nova isso de durar pra mim…

————-

Comecei a escrever ouvindo Zero 7, uma banda que conheci ano passado (depois falo sobre ela). Mas ai, me lembrei que tem uns meses (o_O) sim, meses, que eu to querendo parar pra ouvir Los Hrmanos, e outras bandas que eu não conseguia ouvir ha um tempo. Coloquei “O bloco do eu sozinho” pra tocar…

Fico impressionada quando ouço as minhas vontades e elas me dizem coisas que eu não queria ouvir, e não queria ver. Estou querendo parar pra ouvir esse album de novo, ha dias. Não consigo nem escolher nenhuma música… droga!

Bom, como eu tinha que escolher uma, optei por não escolher uma clichê. Tem muitas músicas fodas nesse álbum:

Los Hermanos – Todo carnaval tem seu fim

Todo dia um ninguém josé acorda já deitado
Todo dia ainda de pé o zé dorme acordado
Todo dia o dia não quer raiar o sol do dia
Toda trilha é andada com a fé de quem crê no ditado
De que o dia insiste em nascer
Mas o dia insiste em nascer
Pra ver deitar o novo

Toda rosa é rosa porque assim ela é chamada
Toda Bossa é nova e você não liga se é usada
Todo o carnaval tem seu fim
Todo o carnaval tem seu fim
E é o fim, e é o fim

Deixa eu brincar de ser feliz,
Deixa eu pintar o meu nariz

Toda banda tem um tarol, quem sabe eu não toco
Todo samba tem um refrão pra levantar o bloco
Toda escolha é feita por quem acorda já deitado
Toda folha elege um alguém que mora logo ao lado
E pinta o estandarte de azul
E põe suas estrelas no azul
Pra que mudar?

Deixa eu brincar de ser feliz,
Deixa eu pintar o meu nariz

“Porque perder tempo aprendendo, quando a ignorancia é instantânea?” (Calvin)

Anúncios

Deixe um comentário

Nenhum comentário ainda.

Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s